domingo, 20 de fevereiro de 2011

mãe, me interna, to infeliz pra caralho!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Que seja doce 2011


É o último dia do ano.
Deu pra perceber que esse ano foi difícil. Não foi um ano de grandes mudanças, mas acredito que certas coisas foram esclarecidas. Principalmente pra mim. Sei que cresci muito e tentei melhorar minha personalidade. Eu já encaro isso como um progresso, por mais que eu não tenha chegado aonde queria. Fiz muitaaaaa merda, mas é com merda que se aduba a vida. Esse é o ditado mais certo do mundo, incrível como a gente aprende muito mais com os erros. E me sinto "vacinada" pra certas situações que, com certeza, estão por vir. E no amor, o que aconteceu? Passei o ano todo pensando numa só pessoa. E eu sou daquele tipo, prefiro morrer de fome, mas num peço comida. E foi assim que foi. Eu na minha e ele na dele. Mas eu não sei o que aconteceu comigo nesses últimos dias do ano. É engraçado como a gente acha que esqueceu alguém. Jura que essa pessoa tá no passado e que nem tem perigo de voltar. Bastou um sonho pra eu perceber isso. Um sonho e uma foto nova no orkut vista. É meio estranho, mas o modo como eu o olhava no sonho, foi tão real, uma coisa tão sincera. Eu sei que as situações não se repetem, mas os sentimentos sim! É aí que a gente percebe a diferença entre amor e paixão. Bom, que seja doce 2011! que tudo venha com luz! PAZ, AMOR, FELICIDADE E PROTEÇÃO!

"Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz!"

"Quem nos faz falta acerta o coração como um vento súbito que entra pela janela aberta..."

Termino com essas duas frases de caio fernando abreu, a última é pro meu avô que nunca será esquecido. FELIZ 2011!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

cacos vermelhos espalhados

Eu olhava em volta de mim e via cacos vermelhos espalhados... Eu tentava tanto enxergar e ver nitidamente de onde eram e o que significavam, mas nunca conseguia desvendar isso. E em meio a isso sempre me sentia sozinha, mas com alguma esperança. Então percebi que esses cacos pertenciam a mim, e tentei juntar todos. Sabia o motivo deles estarem ali, mas procurava esquecer pra ver se restava alguma esperança. Quando cheguei na metade, e faltava pouco pra acabar, minha fé foi embora. A verdade é que quando eu estava tentando recuperar e completar os cacos, alguém mexeu na ferida e derrubou todos os cacos de volta. E agora eu me pergunto: Pra onde foi minha fé? eu quero achar, mas não tenho forças...

Senhor, dai-me forças!










sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

consertar você

fix you - coldplay

When you try your best but you don't succeed
When you get what you want but not what you need
When you feel so tired but you can't sleep
Stuck in reverse

And the tears come streaming down your face
When you lose something you can't replace
When you love someone but it goes to waste
could it be worse?

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try to fix you

And high up above or down below
When you're too in love to let it go
But if you never try you'll never know
Just what you're worth

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try to fix you

Tears stream down on your face
When you lose something you cannot replace
Tears stream down on your face
And I

Tears stream down on your face
I promise you I will learn from my mistakes
Tears stream down on your face
And I

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try to fix you

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Medo de me queimar

Se eu não tivesse medo de me queimar, talvez estaria muito mais feliz. Eu andava por cima aqui. Eu costumava andar por cima. Veio um e tirou uma polegada. Depois você me deixou. Isso tirou um pouco mais. Fiquei tão menor. Estou tão menor. A humilhação te faz menor. E agora eu tenho tanto medo. Medo de acontecer outro desastre pessoal e eu ser cortada nos joelhos.
Quando tudo começa acontecer, eu vou me afastando, arrumando uma desculpa, ou ele é feio, ou bonito demais... Estou TRAVADA para relacionamentos mais prolongados. Dizem que quando sofremos crescemos e ficamos mais preparados para outras situações que estão por vir. Não é assim comigo. Eu esperava isso, mas parece que carrego dentro de mim uma insegurança tão grande, que me deixa perdida e me faz voltar ao invés de seguir em frente. Ao contrário do que deveria sentir, me sinto retraída e indefesa ao ponto de me acovardar e não conseguir me relacionar com ninguém.


''Minha lâmpada de cabeceira está estragada. Não sei o que é, não entendo dessas coisas. Ela acende e, sem a gente esperar, apaga. Depois acende de novo, para em seguida tornar a apagar. Me sinto igual a ela: também só acendo de vez em quando, sem ninguém esperar, sem motivo aparente. Para a lâmpada pode-se chamar um eletricista. Ele dará um jeito, mexerá nos fios e em breve ela voltará a ser normal, previsível. Mas e eu? Quem desvendará meu interior para consertar meus defeitos?''

Medo.